Mediunidade

mediumship

Mediunidade é a condição que certas pessoas apresentam de entrar em contato com espíritos de planos distintos aos seus. Alguns percebem a mediunidade como um fardo, outros como um dom, independente do ponto de vista, sabemos que ser médium é um fator inato.

O médium tem uma função espiritual bastante específica: cabe a ele intermediar a comunicação dos espíritos desencarnados com os espíritos encarnados.

Os médiuns manifestam sua mediunidade de formas diferentes, já que aspectos pessoais de sua índole e psique se incluem necessariamente na comunicação. Do outro lado, por sua vez, os espíritos comunicantes atuam de formas distintas, de acordo com sua linha ou função. Além disso, existem diversos tipos de mediunidade, tais como: clarividência, vidência, irradiação intuitiva, clariaudiência, psicofonia, psicografia, incorporação etc. Cada médium terá desenvolvido algum desses aspectos com mais firmeza e desconhecemos quem tenha todas as formas de manifestação mediúnica.

O fenômeno da incorporação é a forma de mediunidade mais comum de atuação nos terreiros de Umbanda; trata-se de uma maneira mais concreta de manifestação das entidades. Nesta modalidade mediúnica, a entidade utiliza o corpo físico do médium para se comunicar diretamente com a pessoa que procura ser atendida. O guia espiritual realiza um acoplamento vibratório com o corpo astral do médium, atuando sobre determinados chakras e obtendo o controle sobre as funções psíquicas, fisionômicas, vocais e posturais do médium.

É necessário um adequado preparo ritualístico para que a incorporação ocorra, e haja sintonia entre os espíritos.  Ao incorporar, o médium não deixa de estar presente; o que ocorre é uma alteração de consciência e raros são os médiuns que ficam completamente inconscientes neste processo. Enquanto a entidade trabalha ativamente, irradiando sua luz e se manifestando, o médium, quando bem incorporado deve permitir a plena comunicação da entidade e neutralizar aspectos de seu ego. A mediunidade pode se desenvolver e ser aperfeiçoada, ou seja, se manifestar de forma mais ou menos pura: com maior influência do guia espiritual (o ideal) ou com maior influência da parte anímica do médium.

Para que a mediunidade cumpra a função de modo pleno, é imprescindível que além de práticas de purificação, tais como orações, banhos ritualísticos, defumações, alimentação ponderada, entre outras, o médium zele por suas ações e pela qualidade de pensamento e sentimento. Ser ético e bondoso são predicados fundamentais para aquele que pretende fazer de sua mediunidade uma ferramenta para de fato auxiliar quem o procura. Portanto, o médium deve se auto-observar constantemente e procurar elevar suas próprias vibrações antes de querer atender outras pessoas.

por Vivian Lerner

Os comentários estão desativados.

  • Onde estamos