As três formas de apresentação das entidades na Umbanda Esotérica

Na Umbanda Esotérica temos sete Linhas ou Vibrações Originais correspondentes aos sete Orixás: Oxalá, Yemanjá, Yori, Xangô, Ogum, Oxossi e Yorimá.

As entidades que atuam na Corrente Astral da Umbanda são os guias espirituais que trouxeram para nós na Terra este novo movimento espiritual e o implantaram entre nós.

Nos terreiros de Umbanda Esotérica que seguem exclusivamente a Raiz de Guiné, os Guias Espirituais manifestam-se em apenas três Formas de Apresentação: Crianças , Caboclos e Pretos Velhos. Além dessas 3 formas, existe a paralela passiva da Lei representada pelos Exús Guardiões que servem aos guias mencionados.

As Crianças atuam na Linha ou Vibração Original de Yori, simbolizam o Início do Ciclo da Vida, trazem a Pureza e inspiram a alegria e a leveza da alma cheia de esperança. Embora se apresentem desta forma não são verdadeiramente crianças, são seres espirituais com grande luz e evolução comprometidos com o trabalho espiritual. Sua ação direta no chakra laríngeo produz a voz mais aguda nos médiuns e daí surgiu a associação com as crianças. Atuam nos médiuns de forma suave, incorporados tem uma postura alegre, podem utilizar doces e balas em sua magia mas com serenidade, sem alarde nem bagunça.

Os Caboclos simbolizam o Meio, a plenitude das forças no Ciclo da Vida, atuam na Linhas ou Vibrações Originais de cinco dos Orixás, Oxalá, Yemanjá, Xangô, Ogum e Oxossi, de acordo com suas afinidades espirituais e o trabalho que vem desenvolver. São seres que nos transmitem Simplicidade e inspiram a atividade positiva, a força espiritual e a retidão de caráter. Incorporados nos médiuns mostram uma atitude vigorosa, postura ereta e fala firme, frequentemente utilizam charutos e ervas, trabalham com a magia dos elementares e as forças da natureza. Na Umbanda Esotérica chama-se de caboclo toda entidade que tem a manifestação de adulto, em qualquer das 5 linhas mencionadas.

Os Pretos Velhos simbolizam a velhice, o encerramento do Ciclo da Vida, atuam na Linha ou vibração original de Yorimá e trazem consigo em seus ensinamentos e atitudes a Sabedoria e a Humildade, inspiram a reflexão e a mansidão do espírito. Tomam os médiuns na incorporação e os deixam encurvados, em geral trabalham sentados em seus banquinhos, utilizam cachimbos, cigarros de palha, ervas e velas. Com a fala serena e pausada são profundos conhecedores da alma humana e da magia de umbanda.

Ana Lúcia Gomes

Os comentários estão desativados.

  • Onde estamos