A história da Tenda de Umbanda Oxalá e Yemanjá

A Tenda de Umbanda Oxalá e Yemanjá iniciou suas atividades públicas em Fevereiro de 2013, na Chácara Santo Antônio, em São Paulo, na Rua Capitão Otávio Machado, 179. Em setembro de 2015 mudamos nossa sede para a Rua Antônio de Barros, 1859/1861, na Vila Carrão, na zona leste da capital paulista.

Nosso propósito é trabalhar dentro da Umbanda Esotérica seguindo os ensinamentos de W.W. da Matta e Silva conforme o mesmo transmitiu a seus discípulos fiéis. Não reconhecemos sucessores do insígne mestre porque não encontramos evidências suficientes para dizer que o mesmo tenha transmitido o comando da Raiz de Guiné a quem quer que seja. Em realidade, nenhum dos mestres iniciados por Pai Matta jamais reconheceu publicamente uma eventual transmissão de comando, prefereindo continuar suas práticas de acordo com as orientações deixadas pelo grão-mestre Yapacani.

Por esse motivo, seguimos fidedignamente a doutrina deixada por mestre Yapacani, ressalvando exclusivamente os conhecimentos que necessitam de atualização em virtude da evolução da ciência desde a publicação das obras de Matta e Silva. Além dos livros escritos pelo fundador da Umbanda Esotérica, recebemos diretamente ensinamentos e iniciações do mestre Yatiçara, um dos sete mestres consumados da Raiz.

Temos nossas sessões de atendimento mediúnico que acontecem aos sábados quinzenais, sempre às 19:00hs, sem atabaques, sem palmas, sem imagens, mantendo o ritual de Umbanda Esotérica igual era realizado em Itacuruçá- RJ.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

2 respostas para A história da Tenda de Umbanda Oxalá e Yemanjá

  1. DIÓGENES MACAN diz:

    Bom dia, Matta e Silva deixou por escrito e firmado em cartório, vide os relançamentos de seus livros, Riva Netto? Como seu legítimo sucessor? Estou enganado? Aliás tenho quase todos os livros de Matta e Silva e ele é contundente que a mulher não tem altorga pra iniciar , nem ser chefe de terreiro, muito menos direito do astral pra fazer amacy, na cabeça de um varão, e agora tem diversos templos fotos esotéricos dirigidos por mulheres que dizem seguir os fundamentos de Matta e Silva, me respondam, isso é ou não um contrassenso? Desde já agradeço a atenção.

    • rtsoares diz:

      Cabe esclarecer um ponto importante, caro irmão Diógenes.
      Imagino que carregue sua lanterna em busca da verdade. Pois então vamos colocar luz sobre o assunto.
      É verdade que o Matta impunha restrições em seus livros para o sacerdócio feminino. Entretanto, a prática era diferente. Talvez ele não tenha podido escrever todos os ângulos da questão ou pode ser que tenha mudado de idéia com o tempo.
      O fato é que ele mesmo deu autorização para que uma médium sua abrisse uma Tenda de Umbanda Esotérica em São Paulo ainda na década de 1970. A senhora Nair tinha a outorga para conduzir o terreiro e iniciar pessoas. Mais que isso, ele estava se preparando para lhe dar o sétimo grau quando ela se desligou da TUO, pedindo licença ao mestre para se retirar justamente porque não aceitava a pressão que seus “irmãos de santé” estavam fazendo sobre o próprio Matta e Silva por contrariar seus ensinamentos escritos.
      Essa é uma história interessante e tenho as cartas trocadas e até a toalha de iniciação de sétimo grau que o mestre enviou para ser preparada…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Onde estamos